sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Criação de Curió para principiantes – Procedimentos básicos e essenciais.

Mês de setembro chegando, início do período reprodutivo dos curiós, mãos a obra amigos, vamos reproduzir filhotes.
Esse artigo destina-se exclusivamente aos criadores amadores de curió, sem conhecimento nenhum sobre criação de curiós, aos marinheiros de primeira viagem, que estão se iniciando neste hobby apaixonante, que possuem um ou mais fêmeas de curió e um ou mais curiós galadores.
Criar curió é uma arte que requer muita dedicação e tempo do criador, não é difícil, mas requer alguns procedimentos que necessariamente tem que ser adotado para alcançar o tão sonhado sucesso.

Criar canários belgas é relativamente fácil, basta deixar um casal em cada gaiola criadeira e esperar as ninhadas, não requer tantos cuidados do criador.                                                  

Já a criação de curiós requer inicialmente muita dedicação e tempo disponível do criador, além de que sejam adquiridas fêmeas de curió jovens e saudáveis, dando a elas uma alimentação balanceada, trocar a água todos os dias, de preferência água filtrada ou mineral, verduras uma a duas vezes por semana, tipo couve, almeirão, chicória e milho verde. 
Duas vezes por semana durante o período de manutenção e todos os dias durante o período reprodutivo, gema de ovo cozido durante 20 minutos, moído com um garfo ou passado em uma peneira de chá na farinhada industrializada, encontrada a venda em casa que vende produtos para pássaros. A medida é uma colher de farinhada para cada gema de ovo cozido, devendo ser preparada a mistura todos os dias e ser substituído a cada 6 horas. Nunca servir mistura de gema de ovo/farinhada do dia anterior.
As fêmeas de curió devem ficar em um lugar sossegado da casa, ou seja, em um cômodo onde não haja barulho, tipo TV ligada, rádios ou CD Player ligados com som alto, crianças fazendo algazarras ou animais domésticos (cães, gatos). Se possível em um cômodo da casa destinada somente para esse fim. 
Todos os dias de sol, colocar as fêmeas durante uma hora, de preferência bem cedo para tomar banho de sol. Os raios solares produzem Vitamina D aos pássaros, essencial para todos os pássaros e principalmente para fêmeas criadeiras. 
Colocar sobre a gaiola um pedaço de pano ou papelão, para que faça sombra em parte da gaiola, pois em caso de sol muito quente o pássaro saberá o momento certo de ficar no sol ou na sombra.  
Saliento aos amigos criadores, que nem sempre as fêmeas são todas boas criadeiras, algumas fêmeas tem manias e atitudes atípicas, ou seja, são agressivas e não aceitam o galador; não pedem gala; botam fora do ninho; botam e não chocam os ovos; comem os ovos; derrubam os ovos ao sair bruscamente do ninho; chocam os ovos e após nascer os filhotes não os alimenta, e até o caso de uma fêmea de um amigo meu que chocava os ovos durante o dia e a noite abandonava o ninho para dormir no poleiro, vindo a *“gorar” os ovos galados.
*Gorar: por falta de calor, os filhotes não se desenvolvem e morrerem no ovo.
Nesses casos, fêmea que bota e não choca os ovos, pode ser migrado tais ovos para outra fêmea que esteja chocando. 
Fêmea que não alimentam os filhotes pode ser substituída por outra fêmea de curió que seja boa tratadeira (mãe de leite), a qual alimentará os filhotes até eles começarem a se alimentar sozinhos. 
Para fêmea que derrubam os ovos ao sair bruscamente do ninho, pode ser usado ninhos com uma profundidade maior.
Mas cada caso é um caso e geralmente as fêmeas mansas acostumadas com o ambiente doméstico onde vivem e alimentadas adequadamente, são boas criadeiras.


Durante o período reprodutivo, ministrar as fêmeas vitamina E, encontrado a venda em comércios onde vendem produtos para pássaros. Ministrar conforme indicação da bula.
Lembre-se sempre amigo, fêmeas boas criadeiras não estão à venda. Criadores que possuem fêmeas boas criadeiras não disponibilizam a venda. O essencial é adquirir fêmeas filhotas, até três meses de idade e com paciência, esforço e dedicação, prepará-las para serem em um ano boas fêmeas criadeiras.
Quanto ao curió galador, tem que estar preto, em torno de um ano e três meses de idade. A idade essencial para um curió se destacar como um exímio galador é a partir dos quatro anos de idade, porém nada impede de curiós com idade inferiores a isso serem empregados como galadores. Há casos de curiós pardos que são galadores, raras exceções, tudo depende do libido e genética do pardo.
Há curiós pretos, que mesmo sendo excelentes no canto, não são galadores. Isso pode ter sido ocasionado devido a excesso de produtos vitamínicos ministrados a ele, que o deixou estéril, por isso, não ministre exageradamente medicamentos ou polivitamínicos ao seu curió, pois poderá deixá-lo impotente (estéril). Essa dica serve também às fêmeas. Outro caso para curió preto não ser galador, caso mais comum, prende-se ao fato de ter sido colocado com fêmea agressiva, que na tentativa de galar, é agredido por ela, isso faz com que esse curió fique intimidado e nunca mais na vida tenha coragem de galar uma fêmea.
Para dar um curso de formação ao curió galador é relativamente fácil, basta criar o filhote macho sem ver fêmeas de curió até ficar pintado ou maracajá. Após isso, mostrar ele a fêmea por alguns minutos durante o dia e em seguida deixá-lo próximo da gaiola da fêmea com isolamento visual entre as gaiolas, por um período de um mês. 
Colocar a gaiola do futuro galador encostado a uma gaiola criadeira vazia com os passadores abertos, para treiná-lo a desenvoltura de passar de uma gaiola para a outra. 
Após ele estar acostumado em transpor os passadores das gaiolas, você irá usar três gaiolas - a gaiola do futuro galador, uma gaiola criadeira vazia e uma gaiola criadeira com uma fêmea. Empregue o seguinte método: Encoste a gaiola do macho com a uma gaiola vazia, deixe os passadores aberto e coloque um pedaço de papelão ou outro material entre a gaiola do macho e a gaiola vazia. Encoste a gaiola criadeira com uma fêmea na gaiola vazia, deixando o passador da gaiola da fêmea fechado. Retirando o isolamento visual (papelão) entre as gaiolas, para que o macho adentre na gaiola vazia.
Bem, vamos então ao objetivo propriamente dito, a criação de Curiós.
Agora que você conhece um pouco sobre fêmeas e machos de curiós, vamos aos procedimentos básicos e essenciais, que sem dúvidas poderá levar ao sucesso ou fracasso na criação. 
O curió galador e a fêmea que será empregada no acasalamento deverão ser mantidos um em cada gaiola, de forma que não se vejam, somente ousam entre eles o canto do galador e as pialadas da fêmea. 
Algumas vezes no dia, passar com a gaiola do galador em frente da gaiola criadeira da fêmea, uma maneira de despertar o interesse mútuo entre fêmea e macho e também incentivar a fêmea em pedir gala. 
Colocar material presa na parede interna da gaiola criadeira, a fim de estimular a fêmea a forrar o ninho e a pedir gala. O material mais comum e prático a ser usado, pode ser um pedaço de corda de sisal desfiada, com 10 a 15 cm de comprimento.
O curió galador deverá ser saudável, fogoso e estar com o canto firme. Não precisa necessariamente ter um canto clássico perfeito, seja praia grande ou outro dialeto regional, precisa estar cantando, seja canto clássico, mateiro ou grego.


Para quem quer ter um filhote destinado exclusivamente para o encarte de um canto clássico, com o intuito de treiná-lo para participar de torneios de canto, esse filhote não deverá em hipótese alguma ouvir o pai de canto imperfeito ou com canto em que omite alguma nota. O curió aprende a cantar por imitação e provavelmente aprenda com o pai todos os defeitos de canto.
O mentor e principal responsável pela criação de curiós, além do macho e fêmea obviamente, é o criador. 
Fica difícil precisar o momento exato em que a fêmea irá pedir gala, cabe ao criador o senso de observação, geralmente a fêmea pede gala bem cedo ou no final da tarde. 
De nada adianta o criador querer forçar uma gala, ou seja, mesmo a fêmea não tendo pedido gala, encostar as gaiolas de macho e fêmea com um isolamento visual (pedaço de papelão) entre as gaiolas e de repente retirar o pedaço de papelão e liberar a passagem do macho para a gaiola da fêmea, achando que vai acontecer a gala. 
Para descobrir o momento em que a fêmea irá pedir gala, o criador deverá madrugar próximo da gaiola criadeira da fêmea, geralmente quando o dia começa a nascer e a claridade começa a adentrar pela janela, despertando a fêmea de uma noite de sono. 
Nesse momento, o macho também acorda e começa a cantar, isso faz com que a fêmea no momento certo peça a gala. 
A fêmea pedindo gala, é o momento exato, coloca-se a gaiola do macho encostada na gaiola criadeira da fêmea, com um pedaço de papelão entre as gaiolas, ambas com o passador aberto. Em seguida, retira-se o isolamento visual entre as gaiolas, teoricamente a fêmea ao ver o macho, pede gala e o macho adentra sorrateiramente na gaiola criadeira e acontece a cópula. 
As vezes, a fêmea não pede gala e o macho, assim mesmo adentra na gaiola da fêmea, porém não acontece a gala, apenas uma correria do macho atrás da fêmea, nesse caso, separa-se imediatamente o macho da fêmea, isso implica que a fêmea ainda não está pronta para pedir gala. 
Se isso acontecer, não desanime, isso é natural, repita o processo quantas vezes for preciso, por vários dias, até conseguir êxito. 
Aí que entra a paciência e tempo disponível do criador, não deu certo no primeiro dia, repita o processo por quantos dias for necessário, até que a gala aconteça. De nada adianta tentar somente um dia e desistir, achando que a fêmea não aceita o galador. 
Com determinação e paciência, um dia você conseguirá acasalar macho e fêmea e alcançará o objetivo desejado. 
O mesmo processo de acasalamento deve ser empregado a tarde, então lá pelas 16:00 a 17:00 horas, o criador fica na campana, observando o momento exato em que a fêmea peça gala.
Então, amigo criador, se você trabalha todos os dias e só folga nos finais de semana, o único jeito é madrugar todos os dias e ficar na observação do casal todas as manhãs, até conseguir êxito no acasalamento, daí sim poderá ir para o trabalho com a consciência tranqüila da missão cumprida.
Uma gala é suficiente para encher (galar) dois a três ovos, mas para desencargo de consciência, e para garantir, repetir a operação de gala por mais um dia.
Após acontecer a sonhada gala entre o casal de curió, separa-se a fêmea do macho, se possível longe um do outro para que não se vejam e não ousam o canto e pialadas entre eles.
Após a gala, geralmente a fêmea bota o primeiro ovo no segundo dia, sendo dois ovos e raramente três ovos. Após botar o último ovo, ela entra no período de choco, que dura 13 dias até o nascimento dos filhotes. Após nascerem os filhotes, não deve ser colocado o macho junto com a fêmea em hipótese alguma. A fêmea se encarregará de tratar e criar sua prole sozinha.
Após 18 a 20 dias os filhotes abandonam o ninho, dependendo ainda do tratamento da fêmea para alimentá-los. Após 35 a 40 dias os filhotes já estarão se alimentando sozinhos e já podem ser separados da mãe.                                                                              
Então amigos, como vimos, criar curió não é difícil, é apenas trabalhoso e requer tempo disponível e dedicação assídua do criador. Superar desafios faz parte da vida e nada cai do céu por descuido, isso você pode ter certeza, então vamos encarar essa empreitada, obtendo êxito e alcançado o objetivo desejado.
Muitos criadores se sentem um pouco “pai” dos filhotes que nasceram pelo esforço de seu trabalho em todo o processo, desde o momento da gala até o nascimento dos filhotes. Mais gratificante e prazeroso ainda, é ver e ouvir depois de um tempo esses filhotes cantando um canto clássico perfeito e dizer com orgulho: “ esses filhotes fui eu que reproduzi em ambiente doméstico”!!!
Eu não sou dono da verdade e nem sei tudo sobre curiós, tenho muito que aprender ainda.                                                    
Muitos criadores usam outros métodos e técnicas, os quais foram adquiridos empíricamente depois de anos de dedicação à criação de curiós.                            
                          
Meu caro amigo Criador Amadorista de Passeriformes, marinheiro de primeira viagem, coloco-me a disposição para qualquer eventual dúvida na criação de curió.                                                                 
Espero ter ajudado!                                                                        
Boa sorte e sucesso na criação de curiós!                                         
Um grande abraço!                                                                             
Vilson de Souza – Sorocaba-SP
(Autorizado a cópia deste Artigo para Blogs e Sites, desde que seja citado o nome do autor e a fonte).

21 comentários:

Anthony disse...

Amigo caraca adorei o blog,e a matéria também ficou ótima!!
Amigo eu queria saber se posso postar sua matéria no fórum que participo?
E queria ajuda numas coisas na minha criação...
Eu to tendo ajuda dos amigo mais nem um deles tirou filhote na vida só sabe das coisas na teoria.
Amigo comprei o galador e a fêmea...Eu queria saber se é normal um cúrio demorar a abrir?
(Eu comprei ele logo após ele entrou na muda saiu da muda e demorou quase 3 meses para ele abrir isso normal ou é um mal sinal?)
E quando eu posso colocar o ninho o sisal os apetrechos para a fêmea??
Me manda a resposta por Email:thell_tristao@hotmail.com
ATT Anthony

Vilson-Gladiador disse...

Olá Anthony.
Pode postar a matéria no Fórum, sem problemas amigo, inclusive se alguma outra postagem do Blog for interessante e explicativo, pode postar no Fórum também.
Quanto a pergunta do amigo, vou mandar pelo teu E-Mail e vou responder aqui também, poderá ser útil a algum leitor do Blog que tenha a mesma dúvida.

A muda de pena e bico demora em média 40 dias, quase sempre ao mesmo tempo, só alguns casos raros, o curió faz a muda de pena antes e após faz a muda de bico.
Após a muda, o curió demora de 15 dias a um mês para abrir o canto. As vezes demora mais do que isso, devido ao clima, as vezes faz frio e o curió dificilmente canta em dias frios. Então teu curió demorou de dois a três meses para abrir o canto, isso é normal.
O curió não canta o ano todo, geralmente nos dias nublados e ou frios o curió não abre o bico. Ele firma o canto com todo o esplendor mesmo é de setembro a fevereiro, período reprodutivo. neste período ele fica mais fogoso e canta mais pra impressionar a fêmea.
Um macete prá esquentar o curió e deixá-lo com uma energia fora de série é dar a ele milho verde.
Se algum curió fizer a muda e demorar prá cantar, um macete é encostá-lo a uma fêmea, ou seja, deixar a gaiola dele perto da gaiola da fêmea, permitindo que ambos se vejam por uns 20 dias, após isso põe um isolamento visual. Com certeza o curió voltará a cantar.
Durante a muda de pena e bico é aconselhável deixar as fêmeas e machos juntos em uma voadeira ou viveiro.
Quanto a tua pergunta sobre o ninho e apetrechos, o ninho pode ficar direto na gaiola criadeira, a carda de sisal desfiada ou qualquer outro material para a fêmea forrar o ninho, pode ser colocado na gaiola a partir do meio do mês de agosto.
Agradeço o amigo pelas palavras elogiosas. Obrigado.
Um abraço!

jonathan disse...

Ola Amigos Eu To Com Uma Duvida
que pegei um Curió pardo aparentemente
ele ta com uns 8 meses como faço pra
identifika se ele e machu ou femia
ele ta na muda de bico mais ele chama
todo dia so nao canto ainda algum amigo
pode me da alguma dica pramin olhar
pra ver se é machu por favor me ajudem
conto com vcs amigos agradeço ao dono do site )

Vilson-Gladiador disse...

Olá Jonathan.
A única maneira de identificar um filhote de curió se é macho ou fêmea é através de exame de sexagem (DNA).
Dê uma olhada no artigo sobre Exame de Sexagem, selecionando o link abaixo e colando o URL em uma nova página.

http://curiozeiros1.blogspot.com/2011/02/conheca-mais-sobre-as-novidades-dos.html

Um abraço!

papne disse...

Ola amigo,
parabéns pelo blog,
já tirei alguns filhotes, mais renovei o plantel e estou com um casal que nunca criou, consegui galar no dia 12 e 13/09, porém ela só pois o 1ºovo no dia 17/09. Há chance de sucesso?

Vilson-Gladiador disse...

Olá Pepne.
Obrigado amigo.
As fêmeas botam 1 a 2 ovos, depende da fêmea. A algumas poucas fêmeas que botam 3 ovos.
Tem chance sim, amigo. A temporada está no começo, com certeza o amigo irá tirar muitos filhotes com esse casal.
Boa sorte na criação e sucesso!
Um abraço!

mar disse...

minha femea teve filhote,tão com 15 dias,e quero saber se ja posso por banheira pra femea tomar banho

renlan disse...

Olá, parabéns pelo blog. É o mais informativo que já encontrei!
Estou interessado em iniciar a criação do zero mesmo, minha experiência foi só com periquitos australianos e canários belgas, será um passo enorme começar com os curiós.
Lendo sua reportagem vejo que não é vantajoso investir em pássaros de má qualidade, então pergunto, sendo menos ousado que sua recomendação e iniciando a criação com 1 macho e 2 fêmeas, todos filhotes, qual o investimento inicial básico eu teria? Isso levando em conta preço de gaiolas, etc.
Espero que possa me ajudar, desde já eu agradeço!
Um abraço.

Willian D. Borsato disse...

Parabéns pelo post !!!!
Sou criador de Trinca-Ferro e estou iniciando cria de curió, muito boas as dicas !!

grade abraços !!

e viva o curió Paracambi !! adorei eles !!

Vilson-Gladiador disse...

Olá Renlan.
Um filhote de curió(macho ou fêmea) varia de R$ 500,00 à R$ 1.500,00 em criadouros comerciais. Uma gaiola criadeira varia de R$ 80,00 à R$ 200,00.
Um abraço!

Vilson-Gladiador disse...

Olá Mar.
Aconselho o amigo a colocar banheira após um mês após nascimento dos filhotes.
Um abraço!

Vilson-Gladiador disse...

Valeu Willian.
Boa sorte e sucesso na criação!
Um abraço!

Ricardo Ferreira da Silva disse...

Para dar um curso de formação ao curió galador é relativamente fácil, basta criar o filhote macho sem ver fêmeas de curió até ficar pintado ou maracajá. O que significa maracajá? Tenho procurado e muito se fala em gato-maracajá. Obrigado

Carinha disse...

Ola Me chamo Flavio e gostei muito do Artigo e das dicas, gostaria que me desse duas informações, apos o nascimento quando os filhotes podem ser anilhados e existe algum modo de diferenciar os filhotes machos das fêmeas ainda quando estao empenando.
desde ja agradeço, - (e-mail romao.flavio@gmail.com). abraços.

jailton de souza disse...

hola eu tenho um casal de 2 anos emeio e estao juntos nao brigao senpre estiverao juntos e o macho canta junto om éla a minha femia de curio as vese ele raja para ela só ke éla nao ta aeitando ainda a minha pergunta é posso deixar os 2 juntos ja que os mesmos nao brigao e a outra parese que éla ta trocando de pena é normal em pleno setenbro meu email se alguem conseguir tirar minhas duvidas jailton273@hotmail.com.br

Fabiano Barbosa disse...

Sr. vilson de souza, eu sou de Uberlândia e quero comecar uma criação de curió porem o ibama não esta liberando registrando o rapaz do ibama disse que eu não posso comprar curió anilhado e nf no meu nome, eu tenho que esperar o ibama liberar para que eu possa comecar a adiquirir curió. meu e mail fabianobarbosafn@ymail.com

Fabiano Barbosa disse...

sr. Vilson e o Fabiano o que você mim diz a respeito.
ATT: Fabiano.

dourado disse...

boa tarde, meu curió tem uns 2 anos e meio,gostaria de saber porque quando a fêmea abaixa ele dispara mas não sobe pra galar,isso acontece varias vezes.o que tenho que fazer para corrigir?

dourado disse...

desde já ,obrigado sr vilson.

sheng leng disse...

olá, comprei um casal de curiós, minha fêmea é marinheira de primeira viagem e meu macho tbm nunca cruzou, no entanto consegui fazer com que ambos aprontasse rapidamente. o problema pé que minha fêmea pede gala e quando o macho vai cruzar ela bate nele, hoje ele até tem um pouco de medo dela, acho que não vai se arriscar a galá-la mais não!! me ahude aí, é normal a fêmea abaixar e depois bater nele, ela sempre faz isso, é muito agressiva!! Desde já agradeço!!

Sandro disse...

Boa tarde, parabéns pelo blog.
tenho um casal de curió, a fêmea é nova esse ano ela faz um ano, meu galador é um pouco mais velho. Ela está terminando a muda de pena o que devo fazer, quais vitaminas e comidas devo ministrar para ela, para prepara-lá para a procriação e para o galador devo dar alguma vitamina também?
Desde já agradeço aos amigos. Meu email é sandrobarbio@yahoo.com.br

Postar um comentário